Catálogo de Plantas das Unidades de Conservação do Brasil

Sobre a Unidade de Conservação

O Parque Nacional do Caparaó (PNC) foi oficialmente criado em 24/05/1961 pelo Decreto Federal № 50.646, de 24/05/1961, e ampliado pelo Decreto Federal S№ de 20/11/1997, abrangendo pouco mais de 31.000 ha. Esta UC está localizada na Serra do Caparaó, ponto culminante da Serra da Mantiqueira (20°37’ e 20°19’ S/41°43’ e 41°55’ W). Sua área ocupa parte dos municípios de Alto Caparaó, Alto Jequitibá, Caparaó e Espera Feliz, no estado de Minas Gerais, e os municípios de Divino de São Lourenço, Dores do Rio Preto, Ibitirama, Irupi e Iúna, no estado do Espírito Santo. A vegetação é caracterizada por formações de floresta ombrófila densa montana e alto montana, floresta estacional semidecidual montana e campos de altitude. Também ocorrem ecossistemas ecotonais ou de transição entre floresta e campo, bem como entre floresta e pasto. A primeira visita científica comprovada ao PNC foi realizada por Wilhelm Schwacke em 1880, mas foi apenas em 1942 que Alexander Curt Brade realizou um dos primeiros inventários da flora local. Novos estudos nesta UC ocorreram somente no final da década de 1980, quando a Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) desenvolveu o Projeto Flora Fanerogâmica do PNC, coordenado por Leopoldo Krieger. As amostras oriundas deste projeto estão depositadas no herbário CESJ. Lúcio Leoni realizou coletas intensas ao longo das décadas de 1990 e 2000, em especial na porção oeste do Parque, culminando na publicação de monografias para várias famílias de plantas. Coletas sistemáticas, em todas as fitofisionomias e limites, incluindo a porção leste localizada no estado do Espírito Santo, também foram realizadas por Vinícius Castro Souza em 1999. Estas coleções foram depositadas nos herbários ESA e GFJP (atualmente incluída no herbário RB). Braz Cosenza vem realizando coletas no PNC desde dos anos de 2005, quando coordenou os estudos de vegetação para a atualização plano de manejo da UC. Os esforços de coleta de sua equipe, realizados principalmente na região dos campos de altitude da região do Espírito Santo e Minas Gerais, áreas de Floresta Estacional Semidecidual na vertente de Minas Gerais, e de Floresta Ombrófila nas vertentes do Espírito Santo, originaram o acervo depositado no herbário da Universidade do Estado de Minas Gerais (HUEMG, Unidade de Carangola). As pesquisas desenvolvidas pela Universidade Federal do Espírito Santo no PNC, com especial atenção a áreas de floresta ombrófila e de difícil acesso nesta UC, resultaram em coleções depositadas em um dos herbários desta Instituição (VIES, sede de Jerônimo Monteiro). Outros acervos que merecem destaque por possuir coleções representativas do Parque Nacional do Caparaó são os Herbários BHCB e VIC. A lista de espécies de plantas do Parque Nacional do Caparaó representa, portanto, o esforço de reunir informações distribuídas em diferentes acervos e instituições.