Catálogo de Plantas das Unidades de Conservação do Brasil

Sobre a Unidade de Conservação

A Reserva Extrativista Chico Mendes é fruto de uma longa luta dos seringueiros que faziam oposição aos modelos de desenvolvimento definidos pelo governo brasileiro para a região amazônica na década de 1970. O processo se iniciou em Xapuri, no Acre, onde Chico Mendes se destacou como liderança na reivindicação de espaços territoriais destinados à assegurar o uso sustentável dos recursos naturais e proteger o meio de vida e a cultura das populações tradicionais da floresta. Com isso, iniciava-se a conquista da autonomia dos seringueiros da região do vale do rio Acre. Como forma alternativa à ocupação do território amazônico, foi construído um novo modelo denominado “Reserva Extrativista” (Resex), onde as terras pertencem à União, mas com o usufruto dos que nela habitam e trabalham. No início da década de 1990, foram criadas no Acre as duas primeiras Reservas Extrativistas federais, entre elas a Chico Mendes, conforme Decreto nº 99.144, de 12 de março de 1990.

A Resex Chico Mendes está localizada na região sudeste do estado do Acre, com uma área aproximada de 970.570 ha (conforme decreto de criação), pertencente a seis municípios (Assis Brasil, Brasiléia, Capixaba, Xapuri, Sena Madureira e Rio Branco). Abriga aproximadamente 7.500 pessoas, sendo a castanha (Bertholletia excelsa Bonpl.) e a borracha (Hevea brasiliensis (Willd. ex A.Juss.) Müll.Arg.) os principais recursos manejados nesta UC.

Geologicamente a Resex é composta por sedimentos cenozóicos, que compõem a Formação Solimões, assentados sobre o embasamento cristalino do Craton Guaporé, que até o momento não afloram na área. Os aluviões recentes, advindos da evolução dos rios da atual rede de drenagem, recobrem esses sedimentos terciários-quartenários. Em termos biogeográficos, a área compreendida pela Resex Chico Mendes faz parte do Domínio Amazônico e apresenta as seguintes unidades fitoecológicas: Floresta Tropical Densa (27%) e Floresta Tropical Aberta (73%). Entre a Florestas Abertas se destaca a Floresta Aberta com Bambu e a Floresta Aberta com Palmeiras.

A história da catalogação botânica na Resex Chico Mendes começa a ter relevância na década de 90, com o estabelecimento do convênio entre a Universidade Federal do Acre e o Jardim Botânico de Nova York (1991-2010), que possibilitou a realização de diversas excursões e coletas na área. Há atualmente cerca de 4.600 amostras botânicas oriundas da Resex Chico Mendes, depositadas principalmente nos herbários da Universidade Federal do Acre (UFACPZ) e do Jardim Botânico de Nova York (NY). Estas amostras resultaram em uma lista de 534 espécies de plantas vasculares (27 samambaias e licófitas; 1 gimnosperma e 506 angiospermas). Considerando a grande diversidade florística da região e o baixo número de amostras provenientes da Resex, acreditamos que o número de espécies na área seja maior que o apresentado nesta lista e que novos esforços de coleta devem ser realizados.

A Resex Chico Mendes, assim como toda região leste do Acre, vem sofrendo uma grande pressão para abertura de pastagens. Esta prática ameaça não somente a rica biodiversidade da área, mas também a manutenção de milhares de famílias, que tem na floresta seu sustento e modo de vida.