Catálogo de Plantas das Unidades de Conservação do Brasil

Sobre a Unidade de Conservação

O Parque Nacional de São Joaquim (PNSJ) foi oficialmente criado em 06/07/1961 pelo Decreto Federal n° 50.922 e ampliado em 15/04/2016 pela Lei 13.273. Sua criação foi intimamente relacionada à conservação das matas com araucária, que estavam sendo intensamente exploradas nas décadas de 50 e 60 na região. O PNSJ abrange uma área de 49.800 ha na Serra Catarinense, ocupando parte dos municípios de Urubici, Bom Jardim da Serra, Orleans, Grão Pará e Lauro Müller, em Santa Catarina. Na época de sua criação, o município de Bom Jardim da Serra fazia parte do município de São Joaquim, originando assim o nome do Parque. Porém, atualmente, o PNSJ não ocupa áreas do município no qual seu nome foi baseado. A elevação do PNSJ varia de 300 até 1.822 metros no seu ponto culminante, o Morro da Igreja. Os Campos de Santa Bárbara, uma extensa área na porção central do parque, apresenta altitudes acima de 1.650 metros. O Parque está completamente inserido no domínio da Mata Atlântica, compreendendo mosaicos vegetacionais de floresta ombrófila mista, floresta ombrófila densa, campos de altitude e matas nebulares. Também ocorrem zonas de vegetação transicional entre florestas e campos e entre florestas e pastos. O solo é composto por formações de basalto e arenito. No PNSJ encontra-se a nascente do rio Pelotas, sendo uma zona importante na manutenção do Aquífero Guarani. O plano de manejo do parque foi publicado em 21/09/2018 sob a Portaria 811. Porém, ainda hoje existem propriedades privadas não desapropriadas dentro dos limites do PNSJ, o que resulta em diversas ações antrópicas como a criação de gado. As primeiras excursões botânicas na região da Serra Catarinense foram realizadas ainda no século XIX, mas se intensificaram durante e após os anos 50, devido aos esforços para a preparação da Flora Ilustrada Catarinense. Atualmente, a maioria das amostras de plantas provenientes do PNSJ estão nos herbários FLOR, FURB, ICN e MBM. Outras coletas ainda podem ser encontradas em herbários espalhados principalmente nas regiões sul e sudeste do Brasil. O Parque apresenta alta riqueza de plantas vasculares, com registro de 962 espécies (113 spp. de samambaias e licófitas, 2 spp. de gimnospermas, e 847 spp. de angiospermas), várias destas ameaçadas de extinção. As cinco famílias com maior número de espécies no PNSJ são Asteraceae (144 spp.), Poaceae (113 spp.), Cyperaceae (54 spp.), Leguminosae (33 spp.) e Solanaceae (31 spp.).